Gestão do Conhecimento

A Gestão do conhecimento possui objetiva controlar, facilitar o acesso e manter um gerenciamento integrado sobre as informações em seus diversos meios. Entende-se por conhecimento a informação interpretada, ou seja, o que cada informação significa e que impactos no meio cada informação pode causar, de modo que a informação possa ser utilizada para importantes ações e tomadas de decisões. [wikipédia]

Conhecimento Diagrama

Alguns tópicos sobre gestão do conhecimento

  1. A Gestão do Conhecimento custa caro, a ignorância é caríssima;
  2. A Gestão do Conhecimento efetiva requer soluções que combinem pessoas e tecnologia;
  3. Gestão do Conhecimento, é altamente política;
  4. Gestão do Conhecimento requer gestores do conhecimento;
  5. Gestão do Conhecimento se beneficia mais de mapas do que de modelos mais de mercados do que de hierarquias;
  6. O compartilhamento e uso do conhecimento são comportamentos antinaturais;
  7. Gestão do Conhecimento significa arrumar os processos de trabalho relacionados com o conhecimento;
  8. O acesso ao conhecimento é apenas único;
  9. Gestão do Conhecimento nunca tem fim;
  10. Gestão do Conhecimento requer um contrato de conhecimento.

Princípios gerais da Gestão do Conhecimento

  1. A Gestão do Conhecimento tem origem e reside na cabeça das pessoas;
  2. O compartilhamento da Gestão do Conhecimento exige confiança;
  3. A tecnologia possibilita novos comportamentos ligados à Gestão do Conhecimento;
  4. O compartilhamento da Gestão do Conhecimento deve ser estimulado e recompensado;
  5. Apoio da direção e recursos são essenciais;
  6. Iniciativas da Gestão do Conhecimento devem começar por um programa piloto;
  7. Aferições quantitativas são necessárias para avaliar a iniciativa;
  8. O conhecimento é criativo e deve ser estimulado a se desenvolver de forma incentivada.

Onze pecados capitais da gestão do conhecimento

  1. Nenhuma definição organizacional do conhecimento;
  2. Ênfase no estoque do conhecimento em detrimento do fluxo do conhecimento;
  3. Reconhecer o conhecimento como predominantemente fora da cabeça das pessoas;
  4. Não criar contexto compartilhado;
  5. Desconsiderar o papel do conhecimento tácito;
  6. Desconsiderar a Gestão do Conhecimento dos seus usuários;
  7. Diminuir/desconsiderar a importância relativa do pensamento e da argumentação;
  8. Priorizar ou focar no passado/presente e não o futuro;
  9. Não reconhecer a importância da experiência (tentativaXerro);
  10. Substituir o contato humano pelo contato tecnológico;
  11. Buscar desenvolver o conhecimento sem base organizacional.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: