Qual a maturidade da Governança de TI as empresas possuem?

Geralmente quando o assunto é governança, muitas empresas utilizam o COBIT, que é focado no negócio, orientado a processo, baseado em controles e orientado por métricas.

Muitas empresas possuem conhecimento que precisam melhorar os seus processos. MaturidadeEntretanto, em muitas empresas pouco é investido na melhoria dos processos, pois muitas empresas não sabem a melhor forma de melhorá-los. Outras empresas gastam muito, mas sem foco definido, não conseguindo obter nenhum retorno.

Podemos “medir” a maturidade de um processo, através de um modelo de maturidade na qual classificamos a maturidade de um processo. Essa classificação possui uma escala variando entre 0 (zero) e 5 (cinco), onde (0) significa que o processo é inexistente e (5) o processo é otimizado.

  • 0 (zero) INEXISTENTE – Não existem controles;
  • 1 (um) INICIAL/AD HOC – Já existem processos, mas não há documentos nem padrões;
  • 2 (dois) REPETÍVEL, MAS INTUITIVO – Processos padronizados, mas falta documentação e comunicação;
  • 3 (três) DEFINIDO – Os processos são formalizados. Existe documentação, treinamento e comunicação definida;
  • 4 (quatro) GERENCIADO E MENSURÁVEL – Processos em aperfeiçoamento já fornecem boas práticas, mas faltam ferramentas de automação;
  • 5 (cinco) OTIMIZADO – Os processos já estão refinados a partir das melhores práticas identificadas. Existe institucionalização das melhores práticas.

Muitas empresas acreditam estarem no nível 3 (três) de maturidade para quase todos os seus processos. Algumas ainda acreditam já estarem no nível 4 (quatro).

Mas quando é analisamos com um aprofundamento maior o que cada nível representa, muitas empresas voltam para o nível 1 (um), em alguns processos a realidade é ainda maior, pois a maturidade do processo é nível 0 (zero).

Infelizmente a Governança de TI não é levada muito a sério pelas empresas, ao menos em nosso país (existem exceções), que buscam aumentar seu faturamento sem antes rever os seus processos. Atualmente é quase impossível uma empresa viver sem a tecnologia, algumas só existem pelo fato da tecnologia existir, e mesmo assim a Governança de TI não é encarada de forma respeitosa e com a seriedade que necessita.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *