Analista de necessidades

Algumas organizações, extremamente organizadas (vou denominá-las de OO – organizações organizadas) necessitam de profissionais, específicos e qualificados, para realizarem tarefas determinadas. Outras, por sua vez (vou denominá-las de OI – organizações incompetentes), necessitam de profissionais qualificados e estes não podem ser específicos devido à falta de organização da empresa.

Como atuo na área de informática, vou citar exemplos de profissões relacionadas à essa área.

OO, necessitam de analistas de sistemas, para atuarem na análise e desenvolvimento de softwares internos da empresa. Esses profissionais apenas atuam, analisando as novas necessidades da empresa, e com base nessas informações elaboram “modelos” de um determinado sistema e os encaminham para a área de desenvolvimento.

Já a área de desenvolvimento, recebe as necessidades que são encaminhadas pela área de sistemas e então parte para ao desenvolvimento dessas necessidades.

Uma vez desenvolvido, pela área de desenvolvimento, estes “novos” aplicativos seguem para serem testados pela área de homologação (depende de cada organização, para isso ocorrer, porém deve ocorrer em OO).

Homologado, pelas áreas responsáveis, a documentação referente a esse novo processo, deve ser elaborada e revisada, caso algum contratempo ocorra. Em seguida o novo sistema entra em produção, com datas extremamente definidas e acordadas pelas áreas envolvidas.

Com isso chega-se ao término de uma nova necessidade atendida pela área de informática da OO.

O exemplo acima é o ideal, porém…

Nas OI, o esquema de trabalho é semelhante ao que segue. Na verdade isso ocorre em quase 80% das organizações.

O diretor de TI, em uma reunião com os demais diretores da empresa recebe a informação de que uma nova necessidade deve ser atendida e que o prazo para o atendimento dessa necessidade é em um determinado tempo (tempo esse longo).

Passado algum tempo, o diretor de TI vai em uma outra reunião, também com toda a diretoria, e é interrogado sobre o andamento da solicitação feita anteriormente. O diretor é claro responde que tudo está andando conforme o combinado.

Só que o diretor de TI, simplesmente esqueceu, ou achou, por falta de competência, que a solicitação feita pela diretoria é algo simples de se resolver.

Assim que a reunião termina, o diretor de TI entra no departamento de sistemas e diz que existe uma nova necessidade, e que o prazo de entrega é extremamente curto. (atente que o prazo de entrega não era curto, ele apenas e tornou curto porque o diretor de TI esqueceu-se!!!).

analista de necessidades

A partir de agora, não existem pessoas específicas para cargos específicos, analistas se tornam desenvolvedores, desenvolvedores se tornam equipes de homologação, documentação!!! o que é isso??? é de comer?!?! (geralmente a documentação foi entregue no ato da contratação).

Somente, pelo parágrafo acima á é possível identificar a qualidade final do produto.

Chega, então, o dia em que o sistema deve entrar em produção. E esse dia, de apenas 8 horas de
trabalho (isso é somente para pessoas sadias), se torna um dia de trabalho de 24 horas.

Resumindo qualidade deplorável, serviço prestado de forma inadequada.

Baseando-se nesse texto, chego a conclusão de que determinadas organizações não precisam se preocupar com os cargos das pessoas, por exemplo, não é necessário ter um analista de sistemas, um analista de segurança, um desenvolvedor, um analista de suporte, para essas organizações o que elas realmente precisam são de analistas de necessidades.

Não importa qual o problema, o importante é ter um indivíduo que o resolva! E este é o analista de necessidades. Acho que é por isso que se houve que a pessoa deve ter conhecimento em várias áreas, simplesmente para poder resolver problemas, não importa onde eles ocorram.

Se você se identificou, talvez o local em que você trabalhe seja mais ou menos desa forma, organizações são diferentes, porém os problemas são os mesmos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *