A Gestão de Mudanças no ambiente tecnológico e de negócio

As mudanças que ocorrem no ambiente tecnológico de sua empresa são gerenciadas?change_ahead

Por definição, mudança é uma determinada ação na qual resultará em um novo status para um ou mais Itens de Configuração (IC’s) no ambiente tecnológico (ambiente tecnológico refere-se à infraestrutura, sistemas e serviços. Resumidamente: Hardware e Software).

Com base na definição acima de mudança, temos algumas questões que podem esclarecer melhor essa definição.

  1. Se “eu” aplicar uma atualização no Sistema Operacional do equipamento X, pois o fabricante descobriu uma falha, estou fazendo uma mudança?
    1. Resposta: SIM.
  2. Por necessidade do negócio, um novo sistema web irá entrar em operação e necessito incluir um novo endereço IP no servidor, para atender este novo sistema. Estou fazendo uma mudança?
    1. Resposta: SIM.
  3. Por motivos operacionais, um usuário que era do departamento de Contas a Pagar foi transferido temporariamente para o departamento da contabilidade. Para que este funcionário tenha acesso ao sistema e arquivos da contabilidade, uma alteração no grupo deste usuário se faz necessário. Ao realizar esse procedimento, estou fazendo uma mudança?
    1. Resposta: NÃO. Neste caso você não está alterando um IC, o que se faz neste exemplo é apenas uma pequena alteração no propriedade de grupo deste usuário.

O efetivo gerenciamento das mudanças se faz presente e necessário em ambientes tecnológicos de todos os tamanhos.

Infelizmente, algumas empresas (geridas por pessoas), a gestão de mudança é muitas vezes encarada como uma “burocratização” no processo do ambiente tecnológico. Mas isso não é verdade!

Tome nota: Burocracia (segundo o dicionário) – 1. Administração da coisa pública por funcionários, sujeitos a hierarquia, rotina e regulamentos inflexíveis. 2. A classe dos burocratas. 3. Morosidade ou complicação no desempenho de serviço administrativo, decorrente do poder abusivo da burocracia.

Veja o simples fluxo abaixo, nele temos um exemplo extremamente simplório de como o fluxo de uma mudança deve ser.

Fluxo de Gerenciamento de Mudanças

Fluxo de Gerenciamento de Mudanças

Basicamente existem dois tipos de mudanças:

  1. Mudança Emergencial – é a mudança que precisa ser realizada o mais rápido possível, de modo a evitar uma paralisação ou perda (financeira, de sistema, etc);
  2. Mudança Comum – é a mudança que precisa ser realizada, para melhorar/atualizar um IC, entretanto a não execução desta mudança não causará impactos imediatos.

Toda mudança precisa ser planejada, antes de ser executada! Não importa se a mudança seja emergencial ou não. O planejamento deve fazer parte da execução da mudança.

Após o planejamento da mudança, um comitê deve aprovar a execução ou não da mudança. Além da aprovação da mudança, o comitê deve apoiar a gestão de mudanças na priorização, seja com uma visão técnica ou com uma visão de negócio. Logo, este comitê deve ser formado por pessoas que entendam as necessidades de negócio e que tenham conhecimento técnico razoável.

Como disse anteriormente, o processo de mudança não é burocrático, pois é através deste processo que alguns ganhos podem ser obtidos, como por exemplo:

  • Melhor alinhamento entre TI e o negócio;
  • Melhor avaliação do custo de cada mudança;
  • Melhor visão, da própria equipe de TI, sobre o processo de mudança
  • Melhor retorno sobre o investimento (ROI)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *